PORTES GRÁTIS E OFERTA DE 3 AMOSTRAS EM COMPRAS SUPERIORES A 30€

Junte-se à

Subscreva a nossa Newsletter e receba todas as novidades da sua Loja de Cosmética Bio

Rosácea

Se neste momento sente que não sabe bem o que é a rosácea e que pretende saber mais, está no artigo certo.

O que pensa quando houve a palavra rosácea? Algo bom? Estará relacionado com flores? Infelizmente a rosácea não é uma característica relacionada com as rosas a não ser pela cor que apresenta, mas sim um problema bastante incomodativo que pode, inclusive, afetar a nossa autoestima. Se neste momento sente que não sabe bem o que é a rosácea e que pretende saber mais, está no artigo certo.


 
Antes de entrarmos mais profundamente no tema “rosácea” vamos perceber então o que é, quais as causas da sua origem e como pode ser atenuada.
 
O que é?

 

A Rosácea é uma doença dermatológica, bastante comum, caracterizada por vermelhidão na zona T do rosto (bochechas, nariz e testa) e surge, mais frequentemente, em mulheres, depois dos 30. No entanto, as formas mais graves manifestam-se, principalmente, em homens. De qualquer forma, em qualquer um dos casos, trata-se uma afeção benigna, com repercussões, sobretudo, ao nível da estética, afetando, muitas vezes, a autoestima e, em último caso, desencadear quadros de depressão e ansiedade.

 

Embora ainda não haja certezas quanto à origem da rosácea, sabe-se que pode ser herdada (geneticamente) e/ou haver uma predisposição individual para tal (por exemplo, é mais comum em indivíduos caucasianos). Para além disso, fatores como a mudança de temperatura, exposição solar, alterações emocionais (muitas vezes originadas por stress), consumo de alimentos muito apimentados e gordurosos e consumo de álcool podem também contribuir para o agravamento da rosácea.

 

Como é que se pode tratar e melhorar a rosácea?

Infelizmente, a rosácea não tem cura, mas… Há uma coisa, muito importante, que podemos fazer, nomeadamente recriar novamente o filme hidrolipídico da pele, isto é, a camada de proteção que a pele tem, de forma a que a pele se possa regenerar por ela própria, para poder voltar a ser funcional. Passando a explicar melhor… Uma condição de rosácea é uma condição onde este filme hidrolipídico já se perdeu e isto significa que a pele vai ficar muito exposta às agressões e vai começar a reagir ficando sensível, vermelha, seca, dorida…

 

Uma rotina de pele adequada, aliada a uma alimentação regenerativa podem melhorar e muito sua rosácea. E aqui falamos de uma alimentação que ajude a regenerar o intestino e sem pró inflamatórios – evitando lácteos (manteiga, leite, queijo, iogurtes, mesmo sem lactose), açúcar (alimentos e bebidas com açúcar branco, amarelo ou mascavado ou adoçantes sintéticos), farinhas brancas (pão, bolachas, biscoitos não fermentados e com farinha de trigo), alimentos processados (carnes, congelados, molhos, etc.), café, álcool, picantes, mas também batata, tomate cru e laranja e incluindo alimentos que ajudam a regenerar a mucosa intestinal, que por sua vez vai ajudar a regenerar a pele: vegetais verdes, beterrabas, abóbora, batata doce, abacate, quinoa, arroz integral, millet, miso, pickles naturais, vinagre de sidra, kuzu. Enzimas digestivas também são um suplemento alimentar que pode ajudar.

 

E que rotina de pele irá ajudar? Como é que se recria o filme hidrolipídico?

  1. Proteção na limpeza. Tem de haver sempre uma preocupação máxima com a proteção. É este o grande foco neste tipo de tratamento. Tudo o que toca na rosácea tem de ser suave. Não pode conter sulfatos, deve ser uma espuma muito ligeira e suave. Por exemplo, quando se toma banho, tem de se ter cuidado com o champô, com o gel de duche e com todo o tipo de produtos que possam vir a tocar na pele onde se tem a rosácea. O que é que se pode fazer? Usar produtos de limpeza em óleo (como o Óleo de Coco Unii ou o Óleo de Limpeza, da EKIA) ou em bálsamo (como o Bálsamo Celeste, da Absolution ou o Totally Balmy – Creme de Limpeza Anti-Idade, da Voya) de forma a que a proteção seja o mais forte e garantida possível, até mesmo antes de se entrar no banho. Por isso, aconselhamos sempre que passe um óleo ou um bálsamo no rosto para o proteger de champôs, amaciadores, etc.

 

  1. Utilizar um tónico. Depois da limpeza deve-se utilizar sempre um tónico (como o Tónico Regenerador, da EKIA, o Ritzy Spritzy – Tónico Anti-Idade, da Voya ou o Essência Botânica Luminosidade, da Absolution) para repor o pH da pele, ajudar a fechar os poros e a manter, no interior, a hidratação que lá está. Por outras palavras, para fazer com que os produtos seguintes da nossa rotina possam, neste processo de fechar os poros, entrar e penetrar mais facilmente para dentro da pele. E por outro lado ao fechar os poros a água que se perde por evaporação vai ser menor e vai permanecer mais tempo na própria pele. Ao regular o pH, o tónico vai fazer com que a pele esteja nas condições ideais para que as boas bactérias se possam desenvolver, já que é o pH que determina que desenvolvimento bacteriano vai proliferar. Ao termos as boas bactérias a viver na pele (no tal filme hidrolipídico de proteção) a pele fica muito mais resistente e menos atreita a estar sensível, vermelha, a descamar, seca, etc.

 

  1. Aplicar um óleo ou sérum. Utilizar, logo após o tónico, um óleo (como o My Little Hero – Sérum Facial Anti-Idade, da Voya ou o Óleo Facial Concentrado, da Absolution) ou um sérum (como o Sérum Regenerante, da EKIA ou o Sérum Hidratante com Dupla Fórmula, também da EKIA ou, ainda o Booster Proteção, da Absolution) que ajude a pele a formar o filme hidrolipídico. Terá uma regeneração muito mais rápida e duradoura se mantiver este passo sempre.

 

  1. Por último terminar a rotina com cremes muito hidratantes e nutritivos. Devem-se utilizar sempre cremes hidratantes (como o Pearlesque, da Voya, o Dream Cream – Hidratante de Noite, também da Voya, o Creme Anti-Idade Original – Pele Seca, da EKIA, o Creme Santé, da Absolution ou o Creme do Tempo, também da Absolution) que sejam fortes e regeneradores, mas também que forneçam proteção. Segundo a nossa experiência, aquilo que melhor resulta é a dupla hidratação: é o conjunto de um óleo com o creme. De dia e de noite.

 

Este tratamento é muito simples e, ao longo do tempo, vai fazer com que a pele consiga recuperar. Mas, se tiver, por exemplo, um tipo de rosácea mais difícil de controlar, causado por stress, ansiedade ou alguma situação emocional que esteja a passar, uma cura de pele também pode ser uma boa solução para ajudar a acalmar a pele e a repor rapidamente este filme hidrolipídico. Nestas alturas pode sempre recorrer à Cura para Pele Sensível, da Absolution, e usar uma a duas embalagens durante 15 dias a um mês. Experimente e partilhe connosco os resultados!