Tudo o que deveria saber sobre o períneo (e ninguém lhe conta)

É uma zona desconhecida para a maioria das mulheres mas, de repente, assim que engravida, passa a ser muito falada e de extrema importância. Afinal o que é o períneo?

O períneo é importante na hora do parto, mas também crucial quando se trata de ter prazer no sexo ou até para a saúde em geral, pois ajuda a controlar a saída da urina, das fezes e dos gases. O períneo, ou músculos do pavimento pélvico, situa-se entre o ânus e os órgãos genitais externos e tem a forma de um oito. É um músculo que rico em vascularização e terminações nervosas. Mas afinal para que serve e como podemos tratar deste músculo?

No sexo

É uma zona muito sensível, sendo considerada uma zona erógena. Incha com a excitação, aumenta a irrigação e a sensibilidade e permite as contrações vaginais que levam ao orgasmo.

No parto

Na verdade é nesta altura que a maioria das mulheres conhece o seu períneo. Pelo mesmo motivo de promover as contrações da vagina, o períneo é importantíssimo no parto. Ajuda a ter mais contrações e mais fortes e está implicado no processo de expulsão do bebé.

Mas, no caso das grávidas, o peso da barriga pode acabar por enfraquecer a região. Isso faz com que muitas sofram de perda de urina ou mesmo falta de contrações. O mesmo acontece com a episiotomia, uma incisão efetuada na região do períneo para ampliar o canal de parto e que o pode enfraquecer para os próximos partos, promovendo futuras perdas de urina. É mais aconselhado um rasgo natural que irá percorrer as zonas naturalmente mais enfraquecidas do corpo e pode não interferir na musculatura do períneo. O períneo pode ficar enfraquecido por causa dos partos sejam eles normais ou por cesariana.

Na saúde

Evita perdas futuras de urina. Quando há fraqueza da musculatura existe risco de incontinência urinária nas mulheres. Além disso, com o passar dos anos, até por uma questão hormonal, a produção do colagénio diminui, afetando a região e provocando flacidez vaginal.

O que fazer para recuperar o períneo de forma natural e eficaz

  1. As fisioterapias direcionadas para a região – como os exercícios de Kegel – são muito importantes para o fortalecimento e estímulo da região.
  2. Fazer massagens no próprio períneo, que podem ser iniciadas a partir das 26 semanas de gravidez. Estas massagens aumentam a sua flexibilidade evitando rasgar na hora do parto e potenciam a resistência e a hidratação da pele, favorecendo a sua regeneração pós-parto.
  • Como massajar: em círculos, iniciando devagar e aumentando a amplitude dos movimentos, sempre circulares e durante 10 minutos diários.
  • Com o quê: de preferência com um óleo biológico que promova a elasticidade da pele. A nossa sugestão é uma mistura num frasco de metade de óleo argão e metade de óleo de rosa mosqueta. Faça diariamente até ao parto e volte às massagens durante o primeiro ano após o parto, assim que sentir que tudo está completamente cicatrizado.
  1. Exercícios simples caseiros que podemos fazer diariamente e que reforçam a fisioterapia.
  • Imagine que tem uma bola (tipo berlinde) colocada perto do ânus. Tente agarrá-la com esses músculos. Aperte, contraindo as fibras musculares em torno do ânus e da vagina.
  • De seguida, puxe para cima. Imagine que está a levar o berlinde até ao umbigo, por dentro utilizando esses músculos. E agora volte a traze-lo para baixo como se fosse um elevador com 10 andares (sendo o umbigo o décimo andar). E, à medida que sobe e desce, vá parando nalguns andares. Ao conseguir imaginar este processo deve tentar repeti-lo duas vezes por dia.
  • Pode optar por fazer várias repetições. Entre 4 e 5 e quando contrair tente suster a contração durante, pelo menos, oito segundos.
  • Como com qualquer outro músculo, pode sentir algumas dificuldades no início. No entanto dia após dia, vai conseguir fazer mais repetições e aguentar mais tempo de contração. Pronta para começar a treinar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ao continuar a navegar neste site aceita o uso de cookies. mais informação

O nosso website utiliza cookies. Um cookie é um pequeno ficheiro de letras e números que colocamos no seu computador, caso o permita. Estes cookies permitem-nos distingui-lo dos outros utilizadores do nosso website, o que nos ajuda a fornecer-lhe uma boa experiência quando navega no nosso website e também nos permite melhorar o nosso website. Poderá consultar todos os detalhes sobre o tipo de cookies que utilizamos e a finalidade para a qual os utilizamos na nossa política de utilização de cookies. Ao continuar a utilizar este website, está a concordar com a utilização de cookies.

Fechar