O que não funciona no desfralde

Paciência é a palavra chave na fase do desfralde, que é preciso levar com leveza, sem ansiedade ou stresse. Siga alguns dos nossos conselhos e relaxe. Cada criança é única.

Desfralde é um tema, muitas vezes, tenso e preocupante para os pais. É preciso muita sensibilidade e paciência para ultrapassar esta fase sem grande stresse. Cada criança tem um tempo de adaptação. Desta forma, o tempo que demoram para desfraldar completamente e conseguir usar a casa de banho e controlar as suas necessidades fisiológicas é sempre variável e deve ser individualizado.

Em muitos casos, o desfralde começa em casa e na escola ao mesmo tempo. Às vezes corre bem, outras nem tanto.

Se está prestes a começar esta fase, veja alguns erros comuns no desfralde que o vão ajudar a vencer esta etapa mais facilmente.

  1. Como adulto não faz as suas necessidades em frente a outras pessoas, certo? Com as crianças não é diferente. Não expor a criança é fundamental. Tudo é novo, por isso tenha em consideração a questão da privacidade. O ideal é colocar o bacio dentro da casa de banho, por exemplo, para se ir acostumando ao ambiente e conseguir fazer tudo com mais naturalidade.
  2. Use cuecas de treino – um híbrido entre a fralda e a cueca (são menos absorventes e vestem-se como cuecas, não existem velcros). Na Organii encontra diversos modelos de fraldas ecológicas, assim como linguetas biodegradáveis, que permitem reduzir a azáfama da lavagem das fraldas sujas.
  3. Não existe uma altura certa para o desfralde, variando de criança para criança. De acordo com a maioria dos pediatras, existe uma faixa de normalidade muito grande para o desfralde, que varia entre os 18 meses e os 4 anos! O normal é não se retirar a fralda antes dos 2 anos, a não ser que a criança dê sinais claros de que está preparada.
  4. O desfralde deve começar em casa. A escola é um local que vai apoiar o momento. Dar continuidade ao processo e passar o feedback para os pais de como está a correr o desfralde longe deles.
  5. É importante deixar as crianças à vontade na altura em que estiverem no bacio. Não os apresse, nunca diga que estão a demorar muito tempo e até lhes pode dar um livro ou um brinquedo, para se entreterem e não sentirem que estão ali a perder tempo. Pode mesmo sair da casa de banho para os deixar mais confortáveis.
  6. Tenha um bacio ou um redutor de sanitas. Isso ajuda que os mais pequenos consigam fazer as necessidades sem a ajuda dos pais, criando-lhes mais conforto.
  7. A vontade de ir à casa de banho é demonstrada de formas muito diferentes. O mais normal é que nas primeiras vezes ninguém peça para ir. Vendo bem, dantes faziam na fralda e já estava! Agora, convém estar atento. Há crianças que se contorcem, outras ficam num canto muito calmas. Podem até esconder-se atrás de um cortinado ou colocar a mão nas partes íntimas. O ideal é que os pais estejam atentos a todos estes movimentos e tentem antecipar a questão.
  8. É também uma boa ideia perguntar com regularidade se a criança precisa de ir à casa de banho e diminuir a ingestão de líquidos antes de dormir. Faça o que fizer, nunca envergonhe a criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ao continuar a navegar neste site aceita o uso de cookies. mais informação

O nosso website utiliza cookies. Um cookie é um pequeno ficheiro de letras e números que colocamos no seu computador, caso o permita. Estes cookies permitem-nos distingui-lo dos outros utilizadores do nosso website, o que nos ajuda a fornecer-lhe uma boa experiência quando navega no nosso website e também nos permite melhorar o nosso website. Poderá consultar todos os detalhes sobre o tipo de cookies que utilizamos e a finalidade para a qual os utilizamos na nossa política de utilização de cookies. Ao continuar a utilizar este website, está a concordar com a utilização de cookies.

Fechar