10 dicas desperdício zero para mudar a sua vida e a do planeta

Iniciar-se no movimento desperdício zero pode ser algo assustador, na medida em que implica mudanças e ajustes nas suas rotinas familiares e até profissional. A ideia não é ser extremistas, mas não há nada como começar com pequenas mudanças e ir-se ajustando. O objetivo é usufruirmos de um estilo de vida sem desperdícios: para isso, basta recusar aquilo de que não precisamos, reduzir o consumo, reutilizar e reciclar tudo aquilo que não podemos recusar.

.

Ainda tem dúvidas que este é o caminho?

.

Em janeiro deste ano Bruxelas declarou guerra ao plástico, apresentando uma estratégia europeia que visa acabar com o desperdício de plástico até 2030. Até 2030, dentro do espaço europeu, todas as embalagens de plástico vão ser reutilizáveis. Segundo a Euronews, Frans Timmermans, vice-presidente da Comissão Europeia, revelou que o bloco vai rever a legislação atual e perceber que tipo de embalagens de plástico permitem uma reciclagem fácil e rentável.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, garantiu que, se ninguém fizer nada, daqui a 50 anos vamos ter mais plástico do que peixe nos oceanos. A nova proposta da Comissão tem ainda de passar pelo Parlamento e pelo Conselho europeus. Na realidade, em 2014, já a ONU emitia dois relatórios que afirmavam que o desperdício de plástico causa 13 mil milhões de dólares em danos anuais para os ecossistemas marinhos. De acordo com o comunicado da ONU, uma incalculável quantidade de resíduos de plástico entram no oceano de lixo, aterros mal geridos, atividades turísticas e de pesca. Alguns destes materiais vão parar ao fundo do oceano, enquanto que alguns flutuam e podem viajar a grandes distâncias nas correntes oceânicas- poluindo costas e acumulando  enormes giros no meio dos oceanos.

“Estes relatórios mostram que a redução, a reciclagem e a reformulação dos que produtos que usam plástico podem trazer vários benefícios da economia verde: desde a redução de danos económicos para os ecossistemas marinhos e as indústrias do turismo e a pesca – vital para muitos países em desenvolvimento- para trazer poupança e oportunidades de inovação paras as empresas ao mesmo tempo que se reduz os riscos de danos na imagem”, defendeu Achim Steiner.

Desde que em 2011 o Anuário do PNUMA fez uma a revisão dos resíduos de plástico no oceano, a preocupação tem aumentado em torno dos microplásticos (partículas de até 5 milímetros de diâmetro fabricados ou criados quando os fragmentos de plástico), que foram ingeridos por organismos marinhos- incluindo aves marinhas, peixes, mexilhões, vermes e zooplâncton.

10 coisas que pode fazer

Na base da filosofia de Bea Johnson “Como entrar em modo desperdício zero” estão os 5 R’s: Recusar, Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Compostar (“rot” em inglês) – sempre nesta ordem.

RECUSE tudo o que não precisa

• Não aceite sacos de plástico, amostras ou brindes de marketing, conferências ou festas e feiras. Quando aceita um, cria a necessidade de se produzirem mais.
• Diga não ao correio publicitário não solicitado.

REDUZA aquilo de que precisa

• Questione a verdadeira necessidade e utilidade dos seus bens. Doe o que tiver em excesso ou aquilo de que não precisa realmente.
• Reduza as suas idas às lojas e use uma lista de compras. Quantas menos coisas trouxer para casa, menos quantidade de desperdício terá para descartar mais tarde.

REUTILIZE tudo o que conseguir

• Escolha produtos reutilizáveis em vez de descartáveis. Comece a usar guardanapos e lenços de tecido, embalagens recarregáveis e sacos de compras de pano.
• Evite o desperdício nas compras. Leve consigo sacos de tecido (para compras avulso) e frascos de vidro (para produtos húmidos).

RECICLE o que não puder recusar, reduzir ou reutilizar

• Pense na reciclagem como último recurso. Recusou, reduziu ou reutilizou primeiro? Questione a necessidade e o ciclo de vida das suas compras. Comprar é votar.
• Compre avulso ou em segunda mão, mas se tiver de adquirir um produto novo, escolha vidro, metal ou cartão. Evite plástico: cada peça de plástico criada existirá no nosso planeta durante centenas de anos.

“ROT” – COMPOSTE tudo o resto

• Não se sinta intimidado pela compostagem. Descubra um sistema de compostagem que se enquadre na sua casa. Informe-se sobre o que pode compostar (cabelo e unhas, por exemplo, são compostáveis).
• Transforme o seu caixote de lixo da cozinha num contentor para compostagem grande. Quanto maior o recipiente, maior probabilidade terá de o usar.

Créditos fotografia: Joanna Kosinska

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ao continuar a navegar neste site aceita o uso de cookies. mais informação

O nosso website utiliza cookies. Um cookie é um pequeno ficheiro de letras e números que colocamos no seu computador, caso o permita. Estes cookies permitem-nos distingui-lo dos outros utilizadores do nosso website, o que nos ajuda a fornecer-lhe uma boa experiência quando navega no nosso website e também nos permite melhorar o nosso website. Poderá consultar todos os detalhes sobre o tipo de cookies que utilizamos e a finalidade para a qual os utilizamos na nossa política de utilização de cookies. Ao continuar a utilizar este website, está a concordar com a utilização de cookies.

Fechar