25 de Abril, Dia da Liberdade. Expressa-te como és! - Organii – Cosmética Biológica25 de Abril, Dia da Liberdade. Expressa-te como és! - Organii – Cosmética Biológica

PORTES GRATIS EM COMPRAS SUPERIORES A 30€ PARA PORTUGAL

Junte-se à

Subscreva a nossa Newsletter e receba todas as novidades da sua Loja de Cosmética Bio

ORGANII | BIO BLOG | 25 de Abril, Dia da Liberdade. Expressa-te como és!

A liberdade sempre foi e será uma necessidade do ser humano, sentir-se livre, sentir-se capaz de escolher, sentir que o seu caminho é fruto das suas ações e escolhas livres que alimenta a sua motivação e empoderamento. É a força intrínseca humana que faz surgir as ideias incríveis que vemos à nossa volta e é cada vez mais alicerçada na nossa liberdade individual. Liberdade de sermos, pensarmos e expressarmos o que somos e o que queremos ser. A nossa relação com a aparência é também algo de intrínseco, faz parte da nossa identidade e em última análise é parte integrante da nossa personalidade. Não vamos negar a importância da beleza, vamos é aceitar que existem muitas formas de beleza e expressar a nossa própria, de forma livre.

 

O que significa beleza hoje em dia?

 

Beleza é ter a liberdade de perceber que todas as pessoas são diferentes, únicas e icónicas, e nada é mais bonito do que a expressão individual de cada um. É uma beleza optimista e inclusiva, sem género ou com todos os géneros, todos os dias. É uma beleza inconformista, ativista e não convencional, padronizada e estereotipada. E, portanto, livre!

 

É este ode à liberdade de expressão da nossa beleza individual, sem o medo da crítica e conseguindo o amor e a aceitação social da diferença, que vos queremos transmitir e fazer refletir hoje, expresso em especial numa voz no feminino.

As mulheres tendem a ser muito exigentes com elas próprias. Esquecem-se de ser amáveis consigo mesmas como seriam com as amigas, encorajando muitas vezes os homens para excluírem e criticarem outras mulheres, mesmo que de forma inconsciente. É por nós que temos de começar. Além disso, devemos ter consciência que por mais intimidante que uma opção possa parecer aos nossos olhos, a coragem de ser diferente e de assumir essa diferença como parte da nossa vida e do nosso trajeto deve ser motivo de orgulho.
A forma como nós olhamos para fora, tem tudo a ver com a forma como nos sentimos por dentro. A nossa imagem deve refletir aquilo que sentimos, deve ser a nossa realidade! E quanto mais gentis e amáveis formos para essa realidade maior é o nosso poder de aceitação do nosso Eu e da nossa beleza, bem como também será maior o nosso poder de empatia e conexão com todas as outras pessoas.

 

Beleza é hoje singularidade, diferença, etnia, género, autenticidade, adesão ao movimento de beleza natural.

 

E o que queremos dizer realmente com este manifesto de beleza natural?

 

É uma beleza em sintonia com a natureza, feito de cosméticos biológicos, biodegradáveis que não poluem a água, os solos e isentos de derivados de petróleo e outros ingredientes sintéticos. Mas não é só…

 

É uma beleza que aceita a diferença, que aceita cabelos curtos e longos, encaracolados e lisos e brancos, muitos brancos, e em qualquer idade. É uma beleza que aceita o processo natural e inevitável de envelhecer e que promove a funcionalidade e a vitalidade da pele na saúde e não somente no aspeto. Envelhecer é tanto mais confortável quanto melhor a acomodação entre o que sentimos e o que vemos. Beleza como manifesto de honestidade e de transparência e um espelho real de quem somos. A beleza é encarada como um sentimento, e só nós próprias temos a capacidade de nos sentirmos bonitas e felizes.

 

O que te faz sentir bonita?

 

Ainda temos de lidar com sociedades ou meios mais conservadores, onde os estereótipos de beleza ainda reinam. O cabelo branco, se podemos ter ou não pêlo, o peso corporal, o peito, os glúteos e as coxas, se nos arranjamos mais ou menos, se damos importância ao que vestimos, como nos penteamos ou se usamos ou não maquilhagem. Por outro lado, se não ligamos nada é frequentemente percebido como um não querer saber da nossa aparência. Mas é um engano, toda a gente se importa com a sua imagem, mas nem todos conseguem identificar-se realmente com tendências ou esterótipos da sociedade.
A mulher deve vestir-se, pentear-se, pintar-se como quiser, expressando assim a sua identidade. No entanto, isso não pode ser condição para a forma como é ouvida na sociedade. Isto é uma luta pela igualdade de expressão que devemos travar. Pela diversidade de beleza que existe. Pela liberdade de podermos ser aceites como somos, todos únicos, todos bonitos!

 

Happy girls are the prettiest, Audrey Hepburn
Own your beauty